San Francisco – Golden Gate Bridge

golden_gate_hdrUm dos maiores cartões postais de San Francisco é a ponte Golden Gate. É considerada uma das maravilhas do mundo moderno, pela American Society of Civil Engineers.

Gigante! O vermelho em contraste com o azul do mar, colinas e neblinas fazem dela única e misteriosa.

Foi uma das coisas mais lindas que eu já vi! Aquela água azul, o vento, a ponte balançando, o sol passando pelo meio da neblina e iluminando parte do oceano… Lindo de viver!

O que senti:

  1. Agradecida pela oportunidade,
  2. que existe muita coisa para eu ver nesta vida,
  3. minha família e meus amigos precisam ver isso, pois o maldito celular não retratou em nada o que eu vi, (hahaha)
  4. preciso de uma câmera nova.
IMG_0589

Golden Gate Bridge

IMG_0634

No meio da ponte

IMG_0636

Marido nerdando na ponte

IMG_0638

Paisagem vista da ponte

meio da ponte

Paisagem vista da ponte

vista meio da ponte

Paisagem vista da ponte

Infelizmente ela também é linda de morrer!! Literalmente para alguns, digamos, mais de 1,500 pessoas.

A Ponte Golden Gate é o lugar mais escolhido, no mundo, por pessoas que pensam em cometer suicídio. Uma triste contradição, pois San Francisco, sinônimo de alegria e liberdade ter um de seus cartões postais escolhido para ser o ponto final de muitos. No total 98% das pessoas, que se jogam da ponte, morrem. Hoje, agosto de 2013, a “ponte deixa” 34 sobreviventes. Abaixo segue a frase de Neil Tweedie do The Telegraph.

“On average, a person jumps to his or her death from it every two weeks, more than 1,500 to date. And they are the ones who are know about. Others are thought to have taken the final leap only to be washed out in the ocean, their bodies never to be found, or recovered so far from the bridge that they cannot be classified as jumpers. Many more consider jumping and then think before of it. It is rare for week to pass without an incident of some kind, a “10-31″ in police parlance.”

Dos 34, 19 sobreviventes relataram que no meio do percurso, torciam para que de alguma forma, suas vidas fossem salvas. Veja aqui o depoimento de um sobrevivente.

DSC05635

Golden Gate Bridge

Abaixo um vídeo muito bonito abordando algumas das “razões” para as pessoas pensarem em cometer suicídio. Confesso, que achei os motivos estranhos. Sei lá, nunca pensei nisso… Fiz mais pesquisas, e descobri que sim, muitos dos sobreviventes relataram esses “problemas” como uns dos motivos por tentarem tirar suas vidas.

O próximo vídeo é um documentário – The Bridge, que aborda este assunto. Eles filmaram durante um ano, a Golden Gate Bridge. O filme mostra sobreviventes, suicidas e o depoimento das famílias. O filme é REAL, portanto forte. Se você sente que não precisa dele, não o assista. Como estou desenvolvendo o blog, penso ser importante relatar o assunto, que para muitos é um taboo. Mas é sua opção assistir. The Bridge no IMDB aqui.

Como visitar a ponte

Pode ser realizado pelo passeio de barco, que passa pela ilha de Alcatraz e bem próximo da ponte. Você receberá as informações sobre a história da cidade e poderá descer na famosa prisão. Tem tradução para o Português, afinal, brasileiros nos Estados Unidos é uma constante. Mais sobre este passeio, clique aqui.

Mas o melhor de todos, de longe, é o passeio de bicicleta. Podemos pedalar em volta do parque e ver paisagens adoráveis até chegar a ponte, sem perder muito tempo. E por favor, não atravesse a ponte de carro! Larga essa preguiça de lado, pois acabará com toda a graça e beleza da paisagem que a ponte oferece para quem está a pé ou de bike.

IMG_20130810_192641

Passeio de bicicleta

Eu aluguei a bicicleta de uma moradora da cidade. Achei super interessante essa ideia, pois de quebra, ainda peguei umas dicas. Usei o website Spinlister para encontrar a bicicleta que se encaixava no meu perfil (baixinha). Existe também o meio tradicional, ou seja, alugar a bicicleta de empresa personalizadas. Veja mais no website  Blazingsaddles.

passeio bike

Feliz da vida

Fiz a seguinte rota:
Saí da Union Square pedalei até a avenida Polk, e desci até a baia. Não senti medo de pedalar em SF, os motoristas respeitam bastante os ciclistas. A maioria das ruas são sinalizadas e possuem ciclovias, a cultura por lá é a de “share”, ou seja, dividir a rua com os carros. E funciona!!!! Ah, existe um mapa com as rotas que você pode conferir.

Rota das bicicletas

Curiosidades

A ponte é pintada de uma ponta a outra para evitar as ferrugens, todos os anos.

painter

Pintor com vista privilegiada

workers

Pintores checando a pintura dos cabos

E para vocês que acham que San Francisco é uma cidade super urbanizada, longe de outros tipos de animais, já aconteceu de ter alguns na pista, como: cachorro, pelicano e um avestruz. Isso mesmo, um avestruz!! (haha)

ostrich

Avestruz

E isso, qualquer dúvida é só perguntar. :)

Bju, bju

San Francisco – Segurança

dalefeetwebsite

http://thetenderloinproject.com/

O susto veio no primeiro dia. Não! , a melhor palavra seria CHOQUE. Era noite, estávamos com fome e em busca de um restaurante. Sim, fiquei assustada!  E como sempre gosto de bater perna, agradeci por estar com o Daniel (marido). Me deparei com muitos sem-tetos, outros drogados. Na maioria das vezes, eles andam em grupos e isso é bem intimidador.

San Francisco, como a maioria das cidades grandes também tem seu ponto crítico: Tenderloin. Este bairro contém áreas turísticas que incluem a famosa Union Square, The Civic Center, sem deixar de mencionar os excelentes restaurantes. Mas, você também encontra: sem-tetos, drogas, doentes mentais e prostituição.

privatenude

Prostituição

TLextreme

Pertences de um sem-teto

Tenderloin_Project_At_Meds081

Projeto Tenderloin

Estava hospedada na área e o que fizemos foi evitar andar a noite por lá. Quando andávamos, evitávamos ruas escuras e com poucas pessoas. Como essa área é bem movimentada por turistas você encontra alguns policiais, era exatamente aonde estava localizado o nosso hotel. Abaixo, segue mapa no Google Maps com a descrição da região, clique aqui!

tenderloin-map

Mapa de Tenderloin

Ao que parece os “São Franciscanos” não são fãs dos “Nova Yorquinos”, mas é fato que eu senti mais segurança nas bandas do leste. Minha impressão é que em NY você pode errar mais, andando como um turista perdido, sem os perigos de ser roubado, agredido ou sei lá o que mais.

Comecei a escrever este post na terceira semana. Fiz muitas pesquisas, para não falar nenhuma besteira e tentei sentir a região, para evitar o preconceito. A principal dica é: pense que você está no Brasil e tome os mesmo cuidados! (hahaha) Brincadeiras a parte, com o passar das semanas, me senti mais segura e o choque inicial passou. Ainda assim, o mais tarde que ficamos na rua foi até 23:30.

Dicas para não parecer turista babão nesta parte da cidade:

  • Não faça cara de turista, evite câmeras penduradas no pescoço e jóias, planeje suas rotas e evite ficar na rua olhando para o mapa da cidade. E principalmente, siga seus instintos.
  • Não ande nessa região, Tenderloin, durante a noite. Não dê dinheiro, não se envolva com os “homeless“. Evite as ruas 06 e 07 próximas à Market Street. Tem bastante lugar para visitar na cidade, então para que fazer algo ali. :)
  • Evite também, durante a noite, parques como o Golden Gate e Dolores. Aliás, evite todos eles. Segurança em primeiro lugar. Parque a noite, para que?
  • Caso esteja de carro, evite deixar bens de valor dentro do veículo, em alguns bairros é aconselhado trancá-lo: Land Ends, Golden Gate Park, Mission, SOMA, South Market e óbvio Tenderloin.

Conselhos de moradores:

“I guess most of them are on drugs, alcohol etc, but they will ask for money and I just smile at them and say, ‘Sorry, not today’ and move on.”

O comentário abaixo eu encontrei em um site com dicas absurdas de como evitar as pessoas na cidade… Como se fosse possível. De forma irreverente o autor expõe sua opinião: “Então, antes de mais nada, seja humano.”

“Quando eles chegarem perto de você, não os ignore. Apenas sorria e diga que você também está quebrado. Pronto! Não precisa maltratar, evitar olhares e ignorar. Eles já estão “fudidos” demais para alguém ainda fazer de conta que eles não existem. Mas também não encare, não olhe com desprezo ou com cara de turista surpreso.”

Foi super interessante ver como as pessoas da região possuem um jeito muito irreverente  de lidar com estas questões tão difíceis. Um dos pontos mais fortes que você percebe é que por lá o legal é não julgar ninguém, cada um tem as suas dificuldades, seus altos e baixos. No final do dia, poderíamos concluir que esta cidade seria mais humana?  Não sabemos, mas adoramos o seu sarcasmo:

“Warning: there have been mass sightings of tourist collisions with humanity in San Francisco. ‘Normal’ people have arrived to the city and are shocked by finding out San Francisco is not a victorian haven for white gay men and wealthy tech-based families. To avoid humanity, you should jump into the bay, not take any public transit, and don’t go into a shop or a restaurant. If you want to avoid people in San Francisco, you’ll need to have as much money as possible because the city is extremely small, yet there are human beings and trees everywhere. You never know if there might be a vagrant sleeping up in those cypresses! TO BE SAFE, you should get a hotel in the highest building available and if you *must* leave the hotel and don’t wish to be hassled, then your best way to keep safe is not to avoid, as there is no way of avoiding the humanity in SF, but you should try to assimilate perhaps by acting like a normal human being. You should be surprised that there are so many homeless and minority persons because you were expecting opulence, but you should now know that in capitalist cities, there is only the ideology of wealth, and the reality of poverty. Good luck, and use compassion not ignorance.”

Mais conhecimento sobre essa região e alguns projetos você encontrará nos links abaixo:

No mais curta tudo que essa cidade tem a oferecer. Ela é incrível, e a cultura americana aqui é bem diferente. Enjoy!

Sunset

Sunset at Pacific Ocean

Bjo, Bjo.